O presidente da Câmara de Vereadores de Sorocaba, Rodrigo Manga (DEM), afirmou que pedirá para retirar de pauta, durante sessão desta terça-feira (10), o Projeto de Decreto Legislativo nº 22/201 que trata do Título de Cidadão Sorocabano para o deputado Jair Bolsonaro, proposto pelo vereador Luis Santos (PROS).

De acordo com Manga, durante entrevista no espaço “O Deda Questão”, do Jornal da Ipanema, da Rádio Ipanema, 91,1 FM, este projeto “é uma discussão que não dá em nada. Não muda em nada para o município sorocabano”. “Não tenho nada contra Bolsonaro. Muitas coisas concordo com ele, como a não liberação da maconha e ele ser contra o aborto. Tive o prazer de conhecê-lo, quando foi a Brasília conversei com ele”, afirmou. “Se o vereador insistir em manter o projeto, vamos colocar em votação, querendo ou não. Mas, por conta do desgaste, da polêmica, pedirei para ele retirá-lo de pauta”, relatou.

Grupo protesta contra projeto do pastor Luis Santos / Foto: Julio Salvo

Em votação única, consta da pauta nesta terça-feira (10), o Projeto de Decreto Legislativo nº 22/2018, de autoria do vereador Luis Santos (Pros), que concede o Título de Cidadão Sorocabano ao deputado federal Jair Messias Bolsonaro. Oficial do Exército formado pela Academia Militar de Agulhas Negras e professor de Educação Física, Bolsonaro é paulista de Campinas onde nasceu 21 de março de 1955. Nas eleições de 2014, elegeu-se para seu sétimo mandato na Câmara dos Deputados, com 46.565 votos, sendo o mais votado do Estado do Rio de Janeiro e o terceiro mais votado do país.

Luis Santos destaca que Jair Bolsonaro “é conhecido por suas posições em defesa da família, da soberania nacional, do direito à propriedade e dos valores sociais do trabalho e da livre iniciativa”. Afirma ainda que o parlamentar “destacou-se na luta contra a erotização infantil nas escolas e por um maior rigor disciplinar nesses estabelecimentos; pela redução da maioridade penal; pelo armamento do cidadão de bem e o direito à legítima defesa; pela segurança jurídica na atuação policial e pelos valores cristãos”. Lembra ainda que Bolsonaro foi o idealizador do voto impresso, visando dar mais transparência às eleições.