Por Cida Muniz

Quem está acostumado a ver os vereadores criticarem a saúde em Sorocaba, estranhou muito o posicionamento da vereadora Iara Bernardi (PT), que ocupou a tribuna na sessão da Câmara Municipal de Sorocaba desta quinta-feira (5) para elogiar o atendimento da Policlínica.

Iara foi até a Policlínica a convite do Conselho Municipal de Saúde. O vereador José Francisco Martinez (PSDB) também visitou a unidade médica e foi outro que elogiou a Policlínica pela maneira que ela está sendo administrada.

Quem acompanhou a comissão na visita à Policlínica foi o coordenador local, Paulo Gurres. Segundo Iara, “o que pudemos ver no local foi um cenário bem diferente do que encontramos na última vez em que estivemos lá. Houve efetivamente uma transformação qualitativa no ambiente”.

Martinez considerou o atendimento bom, mas não deixou de criticar a manutenção do prédio, que tem uma ala fechada, e precisa de novo reboque em várias paredes, além de outras obras.

Conforme os vereadores, eles conversaram com funcionários e também pacientes e a maioria elogiou o atendimento. Iara afirmou que com a rotatividade de secretários da Saúde, a Policlínica ficou em uma situação de extrema vulnerabilidade, assim como os servidores públicos ali lotados.

Na opinião de Iara, ao contrário do que planejou inicialmente o Governo Crespo (DEM), que é enviar os médicos especialistas para UBSs (Unidade Básica de Saúde), os médicos especialistas da Policlínica precisam ficar ali e atender os pacientes, em uma boa estrutura, e não serem enviados para UBSs, para atender casos generalistas. Martinez corrobora da mesma opinião.

Tanto Martinez como Iara destacam que a forma de atendimento observada hoje, pode dar certo, mas para isso é necessário que a Policlínica seja reformada para atender melhor a população.

1 Comentário

  1. É por aí mesmo. A policlinica é necessária e serve como retaguarda para as UBS, quando o paciente necessita de atendimento especializado. Ela precisa sim ser ampliada. Se as UBS e policlinica tivessem equipes suficientes para dar conta das demandas, não precisaríamos de tantas UPHs.

Comments are closed.