Vereadores da Câmara Municipal de Sorocaba aproveitaram a presença do governador de São Paulo, Márcio França (PSB), na Santa Casa de Misericórdia de Sorocaba, para entregar a ele um relatório da Frente Parlamentar Regional em Socorro à Saúde. No documento, consta uma relação completa das principais carências na área da saúde, identificadas em cidades da região metropolitana. O objetivo é cobrar investimentos por parte do Estado para que essas necessidades saiam do papel.

O presidente da Câmara, Rodrigo Manga (DEM), falou ao governador sobre as necessidades apuradas pela Frente Parlamentar. “Temos uma realidade muito triste na área da saúde em Sorocaba. As pessoas têm cirurgias desmarcadas, esperam anos para conseguir um exame e aguardam até dois anos para fazer uma cirurgia de catarata, por exemplo. Por isso, entregamos ao governador um relatório da Frente Parlamentar Regional em Socorro à Saúde solicitando ações efetivas para oferecer um atendimento mais célere e eficaz nas cidades que compõem a região de Sorocaba”.

Na ocasião, os vereadores ainda reivindicaram emergencialmente a ampliação do número de coletas de sangue destinadas à identificação de possíveis doadores de medula óssea. Eles estiveram acompanhados de Marina Wilfer, esposa do sorocabano Thiago Wilfer, de 34 anos de idade, que necessita de transplante urgente de medula óssea, mas até o momento não tem um doador compatível.

Manga explicou que o limite determinado pelo estado de 200 coletas por mês para novos doadores de medula óssea está muito aquém da oferta em Sorocaba. “Mostramos ao governador que muitas pessoas tentaram fazer a doação e não conseguiram. A Marina, esposa do Thiago, nos acompanhou e ouviu do governador que ele vai resolver o problema. O que vamos fazer agora é cobrar para que isso seja feito o mais rápido possível, porque quem está à espera de um transplante não pode aguardar muito tempo”.

Renan Santos (PCdoB), presidente da Comissão de Saúde da Câmara, destacou da importância da presença de Márcio França, que também visitou o Hospital Regional. O vereador comentou o processo de terceirização da unidade, que passará a ser administrada por uma organização social. “Embora eu seja contra a terceirização, pelo menos é uma tentativa de melhoria, pois o Conjunto Hospitalar há muitos anos está abandonado pelo governo”.

O vereador Engenheiro Martinez (PSDB) aproveitou o contato com o governador para reivindicar providências em relação aos conveniados do Iamspe (Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual), que não têm atendimento em nenhum hospital em Sorocaba.

Já a vereadora Iara Bernardi (PT) criticou a regulação do Departamento Regional de Saúde, que não estabelece critérios para encaminhamentos, fazendo o transporte de pacientes ora para a Santa Casa, ora para o Conjunto Hospitalar ou para o novo Hospital Regional.