Câmara discute Feira da Barganha com plenário lotado; secretários não aparecem

O plenário da Câmara de Sorocaba lotou, nesta manhã de segunda-feira (18), na audiência pública que debate a situação da Feira da Barganha. A sessão foi convocada pelo vereador Rodrigo Manga (DEM). Prevista para iniciar às 9 horas, começou com quase uma hora de atraso.

Entre as autoridades convidadas estão os secretários municipais. Até às 10h46, entretanto, nenhum representante da prefeitura se fez presente. Também receberam convite os comandos da Guarda Civil Municipal e da Polícia Militar, igualmente ausentes.

A direção da Associação de Barganheiros de Sorocaba acompanha a audiência, assim como os vereadores Fausto Peres, Vitão do Cachorrão e Francisco França.

Segundo o parlamentar, a Prefeitura de Sorocaba tem divulgado que pretende revitalizar a feira, tanto é que um projeto com essa finalidade tramita no Legislativo. “Porém, há dúvidas quanto à iniciativa e o objetivo, por meio desse evento, é que a Administração Pública detalhe essa proposta e que ela seja discutida com os barganheiros, representantes da sociedade organizada e a população em geral”, diz Manga.

Manga tem acompanhado de perto os desdobramentos quanto ao futuro da feira e intercedido em prol dos barganheiros. “Há informações de que a Prefeitura tem planos para desapropriar e revitalizar a área da Feira da Barganha, levando-a de volta ao bairro de Pinheiros. Mas há muitas incertezas e nada melhor do que explicar e debater todos os pontos, antes de ser votado na Câmara algum projeto sobre esse assunto”, destaca.

Outra questão é a regularização de barganheiros que atuam no lado externo da área da feira, ao longo da Avenida do Horto. O vereador tem feito reuniões entre os barganheiros e as autoridades, para estudar uma proposta de ordenar e legalizar o comércio nesse ponto, a fim de que os ambulantes não sejam prejudicados com a apreensão de suas mercadorias, bem como a criminalidade seja coibida.

“Defendo uma melhora nas condições de estrutura da feira e ordenar, legalmente, a situação dos barganheiros. A feira é mais do que uma alternativa de geração de renda, pois se tornou parte da cultura de Sorocaba. Só queremos assegurar o ganha-pão para muitas famílias, ainda mais num momento de crise financeira”, complementa Manga.

A feira

Em 2018, a Feira da Barganha completou 40 anos de vida. Já teve muitos endereços e, desde 2002, ocorre em área no Horto Florestal, na Zona Norte, atraindo cerca de 10 mil pessoas todos os domingos pela manhã.

Ali, pode ser encontrada uma variedade de mercadorias e produtos, inclusive, peças com valor histórico e cultural que remontam ao passado distante de Sorocaba. Hoje, essa feira de rolo, escambos e barganhas em geral conta com 322 negociadores cadastrados e organizados pela Associação dos Barganheiros de Sorocaba.

A feira deixou de ser um simples evento comercial e passou também a ser ponto de encontro e lazer para muitas famílias de Sorocaba e região. Aliás, a barganha é uma atividade antiga na região, que remonta à época dos tropeiros, momento importante na história, quando Sorocaba abrigou as Feiras de Muares.

3 Comentários

  1. A sociedade não quer mais desordem, falta de cidadania, entre outras situações para o bom convívio em sociedade. Eu peço e emito nota fiscal e pago meus impostos. Agora, essa feira como esta hoje é uma VERGONHA. Vende-se de tudo, de tudo mesmo…….e não venham que com a “conversa” que gera renda ao cidadão. Isso e frase de quem não conhece esse lugar. Disciplina e organiza de imediato. Sem isso, não deve funcionar já neste final de semana.

  2. Para quem frequenta e conhece importantes feiras de antiguidades , sabe que aquilo é um horror .
    Barganha , entende se como troca , nesta feira da barganha , tem Tênis da marca “NIQUE” , camisetas “ARDIDAS” entre outras intens.
    Defendem que os barganheiros trabalhem do lado de fora, mas que tem a frente de sua casa ocupada por mercadorias de origem duvidosa e o lixo que fica ao final do dia ninguém defende.
    Nosso excelentíssimo prefeito arrebatando empresas de ponta , e a turma brigando pela manutenção da feira da barganha ….. e nosso prefeito que o nó cego …..

  3. A situação da Feira da Barganha e bem simples…. ou se vende tudo com nota fiscal de compra e venda, ou fecha tudo de uma vez ! O que não pode e ser “conivente” com os vagabundos vendendo “bugigangas” roubadas e ninguém fazer nada ! Fora o trafico de drogas de funciona paralelo !

    “Digo a verdade, doa a quem doer”

Comments are closed.