Idosa com infarto aguarda em UPH Oeste por 48 horas até ser transferida para UTI

Atualizado às 11h37

A filha de uma idosa de 77 anos que foi encaminhada com sintoma de infarto à UPH da Zona Oeste, unidade de saúde terceirizada em Sorocaba, denunciou que sua mãe aguardou por atendimento por 48 horas até ser finalmente atendida. Selizi Lins concedeu entrevista ao Jornal da Ipanema, da Rádio Ipanema, nesta manhã de quinta-feira (18), para relatar o caso.

Segundo a denunciante, Selizi Lins, sua mãe, Osvaldina Lins, deu entrada na UPH na última segunda-feira (15), por volta de 12h30. Chegando ao local, a mulher viu vários pacientes serem atendidos antes de sua mãe, enquanto ela permanecia aguardando por atendimento médico na unidade de emergência. “Fiquei 24 horas sem dormir”, disse. “Minha irmã e eu nos revezamos, passando inclusive a noite. Chega a ser desumano deixar alguém 12 horas esperando notícias de seu ente em acomodações como essa”, afirma.

Sua mãe foi transferida para a Santa Casa de Sorocaba por volta das 18 horas de quarta-feira (17). Assim que chegou lá, disse ter sido informada “que já havia vaga disponível” para atendimento.

Ela aproveitou para comparar o caso de sua mãe, que esperou dois dias por atendimento, com uma outra paciente sem gravidade que recebeu atendimento em 20 minutos, com ambulância e vaga na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) garantidas. “Sinto-me uma verdadeira palhaça, porque você acredita que estão fazendo o trabalho da maneira correta”, desabafou no ar. “O sistema é falho”.

A UPH Oeste tem a gestão do Instituto Diretrizes.

A Prefeitura de Sorocaba, por meio da Secretaria da Saúde (SES), esclareceu “que a paciente referida foi assistida de forma adequada e imediata na UPH Zona Oeste. Ela não ficou nos corredores da unidade. Ao ser diagnosticada com início de infarto, logo recebeu o medicamento trombolítico, que fez o caso clínico estabilizar. A solicitação de vaga para a Santa Casa também foi feita imediatamente, porém, existe uma classificação de risco, e neste período surgiram pacientes mais graves, inclusive casos de intubados. Após a vaga ser liberada, o Servido de Atendimento Móvel de Urgência (192) providenciou o transporte sem prejuízos ao paciente”.

4 Comentários

  1. Gostaria de retificar alguns itens desse reportagem.
    Minha mãe foi atendida na emergência onde foi devidamente socorrida e salva pelos profissionais que a atenderam.
    Todo o atendimento de pronto atendimento foi feito e muito bem.
    A minha queixa foi do fato de não ter as devidas informações a respeito da situação dela e a demora em conseguir vaga e transporte para um hospital.
    Qdo vi que uma outra pessoa em situação parecida com a da minha mãe obteve vaga e transporte em um período menor que uma hora e eu estava aguardando há mais de 48 horas me causou extrema indignação. QUERO DEIXAR CLARO QUE APENAS ISSO ME CAUSOU ENTÃO DESCONTENTAMENTO COM A UPH E QUE ESSA OUTRA PACIENTE DEVERIA SIM TER SIDO ATENDIDA PQ É O DIREITO DE TODOS.
    Meu questionamento foi em relação ao fato da demora pra uns e pra outros não.
    REALÇANDO MAIS UMA VEZ QUE TODOS OS PROFISSIONAIS QUE NO ATENDERAM FORAM ATENCIOSOS E COMPETENTES.

  2. Me sinto sensibilizado com essa situação, sei que não é fácil porém é importante não ser leviano ao comparar um caso com outro até porque uma pessoa que chega a ir para UTI de um hospital não deve ser uma situação de menos gravidade…
    Existem profissionais capacitados prontos para melhor servir a população…
    Precisamos sim buscar sermos tolerantes e saber ter discernimento quando situações como essas ocorrem para não fazermos julgamentos desnecessários e colocando todo trabalha do de pessoas que procuram fazer as vezes mesmo sem recursos o melhor para o povo…

  3. Mas já ???
    Tinha certeza que isso acabaria acontecendo e a verdade aparecendo… mas em 2 MESES ?
    Esse prazo reflete claramente o total descuido com que esses processos escusos são desenvolvidos pelo Paço, devido à sua habitual posição de indiferença aos poderes constituídos e com a população
    Essa terceirização e o Instituto Diretrizes desenvolvem uma atividade com características que certamente demandam uma investigação específica do GAECO.

Comments are closed.