França desafia Doria sobre vídeo: “basta ele dizer aonde estava aquela hora”

Foto: Jardiel Carvalho/Folhapress

O governador e candidato à eleição ao governo de São Paulo, Márcio França (PSB), concedeu entrevista na manhã desta quinta-feira (25), no Jornal da Ipanema, da Rádio Ipanema.

França respondeu à polêmica envolvendo um vídeo que viralizou na internet sobre seu adversário no segundo turno, João Doria (PSDB), que mostra supostamente o tucano  deitado em uma cama fazendo orgia com ao menos cinco mulheres na noite do dia 11 de outubro. Apesar de Doria ter alegado, por meio de laudo pericial, que não é ele na gravação, França o desafiou ao vivo: “Essa história do vídeo… Basta ele dizer aonde ele estava aquele horário, naquele dia, para demonstrar que não estava naquele lugar. Laudo pericial cada um apresenta como quiser. O fato é saber onde ele estava aquela hora”, disse.

O governador aproveitou para refutar a ideia de que ele teria disparado o vídeo. “A assessoria dele veio inventar aquilo. Quem tá indignado tem que responder nessa altura, responder duro. Dizer ‘ah, não… É montagem’. Se ele tava lá também é problema dele, aquilo é privado. Agora, o que não pode é mentir”.

França está em segundo lugar na última pesquisa de intenção de votos divulgada pelo Ibope. Doria aparece com 53% dos votos válidos e o pessebista com 47%. Apesar da diferença, o governador mantém-se esperançoso com sua possível eleição. “No sábado, primeiro turno, o Ibope tinha me colocado 10 pontos atrás. A surpresa veio, ganhei no primeiro turno, passei [Paulo] Skaf (MDB), e ele veio me apoiar. Major Olímpio [PSL, mesmo partido de Jair Bolsonaro] está me apoiando em todo o estado de São Paulo”, relatou.

O pessebista aproveitou para atacar a campanha eleitoral de seu adversário tucano. “Ele foi prefeito de São Paulo e, por 43 vezes, jurou que cumpriria o mandato e não o cumpriu. Isso não é o que a sociedade de São Paulo pode esperar. Doria passou o segundo turno inteiro mentindo. Fala inverdades, muitas vezes condenado, perdeu vários comerciais [propagandas eleitorais]. Em vez de falar o que pode fazer por São Paulo, tentou se agarrar à história do Bolsonaro, um absurdo”.

Em seguida, alegou que Doria ‘mancha’ a candidatura de Bolsonaro. “Ele tá prejudicando Bolsonaro, se agarrando nessa história nacional. Temos de orientar, conduzir o Brasil”.

Promessas de campanha

Uma das promessas de campanha de França citadas durante a entrevista foi a duplicação da rodovia SP-79, estrada que liga Sorocaba a Tapiraí. Outra ação seria expandir para todo o estado o Botão do Pânico, programa de proteção à mulher vítima de violência.

França ainda disse que trabalhará para zerar a fila de espera nas creches. Fato que ele disse ter conseguido quando prefeito de São Vicente.

Neutro a presidente

O governador defendeu sua neutralidade nas eleições, ao dizer que não apoia nem Bolsonaro e nem o candidato à Presidência pelo PT, Fernando Haddad. “Desde o começo repito isso. Entendi que não tenho relação, embora a esposa do Bolsonaro trabalhou no meu partido. Não tenho afinidade de ideias que me permita fazer declaração de votos. São Paulo é muito grande e precisa ter um governador que faça o melhor […]. Se tivesse candidato que tivesse afinidade comigo em faria minha declaração”, defendeu.

1 Comentário

  1. É nítido o desespero de França em relação a Doria, pois ele já sabe que perdeu as eleições e tenta, a todo custo, desmoralizar Doria e sua candidatura…. Bem coisa de “Petista”.
    Afinal, ou é honesto, ou é Petista, ambos não cabem no mesmo ambiente…..
    #somos todos BolsoDoria

Comments are closed.