Com adesão de professores à greve, escolas municipais cancelam aulas

Escola Municipal Profª Josefina Zilia de Carvalho, Jardim Guadalajara, cancelou as aulas com falta de professores. Foto: Google Maps/reprodução

Três unidades de educação de Sorocaba cancelaram as aulas após a adesão de professores e servidores à Greve Nacional da Educação que ocorre nesta quarta-feira (15). No total, 1,4 mil estudantes foram dispensados.

Segundo informações da Secretaria de Educação, as escolas que fecharam as portas foram: CEI 45 – “Diva Ferreira Cordeiro”, Parque Laranjeiras; Escola Municipal ” Profº Basílio da Costa Daemon, Paineiras; e, por fim, Escola Municipal Profª Josefina Zilia de Carvalho”, Jardim Guadalajara. Um acordo foi feito entre a prefeitura e pais de alunos para haver reposição de aula.

Os professores e estudantes de escolas de Sorocaba fecharam, em passeata, ruas e avenidas da cidade durante a Greve Nacional que ocorre nesta quarta-feira (15). Às 9 horas, a rua São Bento, no Centro, foi tomada pelo grupo que se manifesta contra pautas do Governo do presidente Jair Bolsonaro.

Às 9h32, o protesto reunia 1,5 mil pessoas na praça Coronel Fernando Prestes, ponto de concentração da greve. A avenida General Carneiro, sentido Centro, também apresentou lentidão no trânsito por conta da manifestação que ocupou a via.

Conforme os organizadores, nesse dia ocorre paralisação dos professores da rede estadual em todo o Estado de São Paulo, inclusive Sorocaba e região. Professores municipais também devem paralisar as atividades. Segundo a Secretaria de Educação, caso a categoria do município participe ocasionando a suspensão da aula, terá de repor o dia letivo.

Sindicato dos Servidores Municipais

Segundo o presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Sorocaba (SSPMS), Salatiel Hergesel, os servidores municipais também foram chamados para aderir à paralisação. “Ou você para e fica do lado da classe trabalhadora, ou você continua trabalhando achando que do jeito que está caminhando a educação no Brasil, está boa”, disse em vídeo divulgado na página oficial do sindicato no Facebook.

Secretaria de Educação de Sorocaba

A Secretaria de Educação de Sorocaba informou, nesta manhã de quarta, que “respeita toda manifestação democrática e o direito a paralisações garantidas por lei. No entanto, em respeito aos estudantes e suas famílias, está mobilizada para que as unidades mantenham o número mínimo de funcionários necessários para garantir o atendimento aos alunos. A Sedu mandou e-mails para as unidades ontem e pela devolutiva é uma minoria que vai aderir”.

O dia 15 de maio, conforme programação, será “um dia nacional de lutas em defesa da educação pública, convocado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e que contará com atos em diversas cidades do país, além de Sorocaba”.

Outras entidades que devem participar do ato são SINPRO, ASPAMS, SINTUFSCar, DCE Livre UFSCar e a AFUSE.

Pauta do ato:

Contra a Reforma da Previdência
Contra os cortes de verbas da educação
Contra os projetos autoritários na educação – pela liberdade de
ensinar.

2 Comentários

  1. Participantes do “Potresto”:

    – 50% está na manifestação somente para faltar nas aulas e pela baderna !
    – 50% não sabe nem quanto é 7×8 ou qual é a fórmula da água !

    Mas 100% deles, serviram de Massa de Manobra para o PT ! POBRES COITADOS !

Deixe um Comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here