Professor acusado de assediar alunas em escola da Zona Norte deixa o cargo

A Secretaria de Educação do Estado informou que o professor da Escola Estadual Dionysio Vieira, no Paineiras, acusado de assediar alunas, deixou o cargo. Segundo nota oficial enviada nesta terça-feira (11) à redação, a Diretoria Regional de Ensino de Sorocaba informa que o contrato do professor, firmado em caráter temporário, foi extinto.

Ainda na nota, a Secretaria afirma que “todo apoio está sendo prestado às alunas, principalmente por meio das ações pedagógicas com o professor mediador da unidade. A administração regional está colaborando com as investigações e continua à disposição dos responsáveis para quaisquer esclarecimentos”.

A redação, após receber a nota oficial do Estado, voltou a conversar com o pai de uma das alunas que teria sido vítima dos assédios. Segundo o entrevistado, a garota está bem, mas por precaução, toma cuidado ao levar e buscar sua filha na unidade de ensino.

O caso

Pais de duas alunas procuraram a Delegacia de Defesa da Mulher, na última sexta-feira (7), para prestar queixa contra um professor que cometeu suposto assédio às suas filhas, ambas adolescentes de 16 anos.

De acordo com o boletim de ocorrência, um professor de Exatas, que substituía outro docente para alunos do 2º ano do ensino médio, abordava as garotas e fazia perguntas de cunho obsceno a elas. Ele teria assediado cerca de quatro meninas.

O boletim foi registrado pelo artigo 232 – submeter criança ou adolescente a vexame.

Em uma das ocasiões, as vítimas teriam flagrado o suspeito tirando foto delas de forma escondida. Ainda, ele havia dito que “dá para fazer elas engravidarem em seis minutos”.

O Ipa Online conversou com o pai de uma das alunas que diz ter sido vítima de assédio. Segundo o entrevistado, sua filha foi questionada pelo professor se “ela prefere o buraco de cima ou debaixo”. Para outras estudantes ele questionou se “gostam de ficar com a banana na boca”.

Durante uma aula, enquanto ensinava um cálculo, o docente teria ensinado a seguinte fórmula à classe: PVN = RT (Puta Velha Não Recusa Trepada).

Os assédios têm ocorrido há cerca de dois meses, segundo as adolescentes contaram aos pais. Na quinta-feira (6), os responsáveis pelas alunas procuraram a coordenação da escola e foram orientados a registrar a queixa à direção por escrita. A reclamação foi feita e entregue à escola.

1 Comentário

Comments are closed.