Eike Batista é preso pela segunda vez em desdobramento da Lava Jato

Foto: Reginaldo Pimenta/Raw Image/Folhapress

Italo Nogueira, FOLHAPRESS

O empresário Eike Batista foi preso temporariamente nesta quinta-feira (8) pela segunda vez na Operação Segredo de Midas, novo desdobramento da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro.
A Polícia Federal também cumpre mandados de busca e apreensão em endereços ligados a dois filhos do empresário, Thor e Olin.

Há ainda um outro mandado de prisão expedido, cujo alvo não foi divulgado.

O Ministério Público Federal ainda não divulgou as razões da nova prisão. De acordo com a PF, o objetivo da operação é obter provas relativa à manipulação do mercado de capitais e lavagem de dinheiro.

Eike foi preso preventivamente em fevereiro de 2017 na Operação Eficiência, solto dois meses depois. Ele foi denunciado de pagar US$ 16,5 milhões de propina ao ex-governador Sérgio Cabral (MDB), processo no qual foi condenado a 30 anos de prisão. Ele recorre da sentença em liberdade.

O advogado Fernando Martins, que defende o empresário, disse aguardo acesso aos autos para se manifestar.”Certamente essa nova ordem de prisão, assim como a anterior, carece de amparo legal”, disse o advogado.