FOLHAPRESS

O presidente Jair Bolsonaro defendeu a atuação de um atirador de elite contra o homem armado que manteve passageiros de um ônibus reféns por quase quatro horas na ponte Rio-Niterói, na manhã desta terça-feira (20), e afirmou que “não tem que ter pena”. O suspeito foi morto pela polícia pouco depois.

“Estou sabendo [do caso]. No meu entender [a solução seria], snipper”, disse. “Eu defendo que o cidadão de bem não morra nas mãos dessas pessoas”, acrescentou.

A entrevista foi concedida antes da execução do sequestrador por um atirador de elite. Bolsonaro disse que a solução para o episódio seria o uso de um “snipper” para que o “cidadão de bem não morra nas mãos dessas pessoas”.

Depois da ação policial no Rio de Janeiro, o porta-voz da Polícia Militar, coronel Mauro Fliess, confirmou o óbito e disse que a arma usada pelo sequestrador era de brinquedo.

O criminoso, ainda não identificado, foi atingido no momento em que deixava o veículo. Nenhum dos reféns foi baleado. A polícia disse não saber, até a conclusão desta reportagem, as motivações que levaram o suspeito a sequestrar o ônibus.

Na entrevista, Bolsonaro lembrou do caso do sequestro do ônibus 174, em 2000, quando a professora Geísa Firmo Gonçalves foi assassinada pelo sequestrador Sandro Barbosa do Nascimento.

“Não foi usado snipper e morreu uma professora inocente. Depois, esse vagabundo morreu no camburão”, disse. “Não tem de ter pena.”

O governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), afirmou que vai promover os atiradores e elogiou o trabalho da polícia

10 Comentários

  1. POR ISTO VOTEM 17 PSL !!!bandido bom como diria o velo maluf eh morto!!!

  2. Os policiais não devem esperar a conclusão de que era ou não a arma de brinquedo,não guerra tem que tomar decisão rápida
    São vidas inocentes, o bandidos sabe das suas casas pra matar ou morrer,estão com pena?
    Adotam um bandido!

  3. Menos um vagabundo nas ruas ! Parabéns ao Bope !
    Ta com pena do vagabundo ? Sustenta a família dele !

  4. NEUTRALIZADO, MORTO, LIQUIDADO, TODOS ESSES COMENTÁRIOS, “ARGUMENTOS” DEMONSTRAM AINDA MAIS UMA SOCIEDADE DOENTE.
    ESTAMOS JÁ HÁ SECULOS COM ESSA DOENÇA, É UM QUERENDO TIRAR VANTAGEM EM CIMA DO OUTRO, ISSO ACABARÁ CULMINANDO COM A LIQUIDAÇÃO TOTAL DO PLANETA.
    A AMAZÔNIA ESTÁ EM “PLENA LABAREDA DE FOGO”, UMA DAS ÚLTIMAS RESERVAS AMBIENTAL DO PLANETA, ESTÁ ACABANDO E TODOS COLOCAMOS UM “BRUCUTU” PARA TOMAR CONTA DO PAÍS, ISSO TUDO QUE OCORRE ME LEMBRA DO FERNANDO COLLOR DE MELO, NO INÍCIO VEIO COM UM DISCURSO, QUANDO CHEGOU NO PODER, MUDOU TOTALMENTE ATÉ SER CASSADO. EU JÁ ASSISTI ESSE FILME!

  5. Parabéns à Gloriosa Polícia Militar!
    Mais um CPF cancelado, menos um bandido nas ruas!

  6. “A arma era de brinquedo”, fato que só foi detectado após o desfecho do episódio. A realidade, durante todo o tempo, era o risco dos reféns, que estavam imobilizados por braçadeiras de plástico, serem queimados vivos, com garrafas de gasolina sobre suas cabeças e um isqueiro na mão do bandido. ISSO JÁ NÃO ERA O SUFICIENTE PARA MATAR O SEQUESTRADOR????? Ah, me poupem…

    • Os defensores “dos manos” estão de luto!
      Se um de seus familiares fosse um dos reféns, estariam em júbilo!
      Gente cínica!

    • Evidentemente que foi uma ação necessária, afinal eram quase quarenta pessoas com risco de morte eminente, todavia, festejar a morte de uma pessoa, foge a qualquer conceito de pessoa normalmente civilizada.
      Lamentável …

  7. Sempre tem que ter uma palavrinha imbecil para provocar… o marginal não foi “executado” , a la Estado Islâmico , como escrito.
    Ele foi neutralizado sem qualquer dano aos reféns com o uso do recurso mais indicado pela situação analisada por peritos das forças de repressão ao crime.
    Ok ???!!!!

Comments are closed.