Adolescente de 16 anos é morta e tem o corpo esquartejado

Luís Freitas, FOLHAPRESS

A Polícia Militar e os Bombeiros de Araraquara, no interior de São Paulo, localizaram na tarde desta segunda-feira (10) as partes do corpo de Yasmin da Silva Nery, 16, que estava desaparecida desde a tarde de domingo. O suspeito é um jovem de 17 anos que a estudante tinha conhecido pela internet. Ele foi apreendido e, segundo a polícia, confessou o crime.

O adolescente foi levado para a unidade de internação da Fundação Casa na cidade. A jovem, moradora do bairro Selmi Dei, saiu de casa dizendo aos pais que iria ao Sesc. Ela, no entanto, foi até a casa do jovem, no Jardim Hortênsias.

Segundo a polícia, foi lá que ele a matou, enforcada, e usou uma faca para cortar o corpo em partes. O crime aconteceu no começo da noite, quando os pais dele haviam ido à igreja.

Parte do corpo foi encontrada dentro de um carrinho de lanches, no quintal da casa. O resto estava espalhado em um lago no mesmo bairro.

A sacola utilizada no transporte foi localizada em um terreno na região do Quitandinha, próximo ao campus da Unesp, a nove quilômetros da casa do jovem. Foi ele mesmo que mostrou à polícia a localização das partes do corpo e da sacola.

A Polícia Civil não confirmou a motivação do crime. A policiais militares o adolescente teria dito que gostaria de saber como é matar alguém.

O jovem não tinha histórico de violência, segundo a PM, era considerado bom aluno da Escola Estadual Bento de Abreu e gostava de música, com passagens por bandas de rock. Em seu perfil no Facebook, ele seguia páginas como “Desenhos Agressivos”, “Homicidas” e “Psicopatas de Sangue Frio”.

Pai de Yasmin, o motorista Waldir Nery, 50, disse que sua filha raramente ficava mais que duas horas fora de casa, e que só costumava sair para a escola. “Era uma garota especial, inteligente e doce. Gostava da família, era religiosa”, disse.

Yasmin estudava como bolsista no colégio Sapiens, tradicional instituição particular de Araraquara. A escola vai suspender as atividades nesta terça-feira. “A direção, juntamente com professores, colaboradores e alunos, manifestam profundo pesar pelo ocorrido, formando uma rede de apoio e solidariedade aos pais e familiares”, disse, em nota.

Ainda não há informações sobre velório e enterro de Yasmin.