Por Vanderlei Testa

Hoje você irá conhecer um novo desbravador para o seu livro de memórias dos meus artigos.

A primeira imagem que vem à nossa mente quando lemos um título como esse: “Currículo do Armando de Oliveira Lima” é a curiosidade de conhecer o personagem e o que ele fez no trabalho, na escola onde estudou e suas experiências de serviços prestados. Aí fazemos uma avaliação do seu histórico e o selecionamos para uma vaga no imaginário da nossa leitura.

Fiz isso muitas vezes. O Armando de Oliveira Lima é um amigo e vou relatar o ser humano que há dentro de sua alma e o visionário artista e escritor.

Na semana passada a Biblioteca Infantil de Sorocaba através do seu gestor José Rubens, prestou uma significativa homenagem ao Armando. Infelizmente só fiquei sabendo posteriormente ao evento pelas imagens dos cliques do Teófilo Negrão, pois jamais deixaria de comparecer a uma solenidade como essa.

Foi cercado de familiares, esposa, filhos e netos e bisnetos, com os amigos de nossa geração da imprensa, Geraldo Bonadio, Sergio Coelho de Oliveira, Celso Ribeiro, Adolfo Frioli, Davi Deamatis, José Desidério, Paulo Mendes, Iara Bernardi, Marcos Rogick, entre tantos outros colegas.

Ao som de uma seresta e das palavras de reconhecimento ao dom da vida do Armando, um verdadeiro livro de recordações foi sendo aberto pelos amigos que usaram da palavra na cerimônia. É não é para menos.

O bebê Armando nasceu em Sorocaba no dia 20 de outubro de 1934. Há 85 anos. Menino sapeca e inquieto cresceu com sua curiosidade e perspicácia de ser um estudioso das artes e da cultura. Gostava de trabalhos em madeira a ponto de hoje ser o seu hobby favorito em casa.

Foi na sua juventude estudar Filosofia. Formado e como professor atuou na Faculdade de Comunicação Social de Itapetininga. Foi lá que conheci o Armando como seu aluno em 1975. Uma mente privilegiada e um coração aberto às pessoas.

Polêmico, atraia os alunos para debates sobre tudo o que aparecia de novidades no mundo. Um artista nato e bandeirante no abrir novos rumos à vida. Foi um dos fundadores da Academia Sorocabana de Letras. Presidente do Conselho Municipal de Cultura, ingressou na Associação Sorocabana de Imprensa. Seu fôlego exigia mais desbravamento. Foi presidir o Gabinete de Leitura Sorocabano.

Se tudo isso não bastasse ao visionário Armando de Oliveira Lima, ingressou no Diário de Sorocaba como colunista. Suas crônicas eram uma verdadeira sobremesa apimentada aos olhos dos leitores. E para completar mais o seu currículo, inventou de escrever peças teatrais. Autor de “Espoletildo” e um dos fundadores do “Teatro dos Três”.

Armando acabou assim, por presidir a Federação de Teatro Amador da Baixa Sorocabana. Era um “louco apaixonado pelas letras”, assim o defino nestas décadas que o acompanho na sua trajetória. Fundou uma editora e ainda preside o Instituto Darcy Ribeiro de Sorocaba.

Seus 85 anos de idade não o impede de participar como consultor do Núcleo de Cultura Afro-Brasileira da Uniso. Criou o concurso “Depoesia” e anualmente premia os melhores autores sorocabanos. É co-fundador da Academia Sorocabana de Música e da revista “A Fagulha”.

Aposentado como funcionário público da Justiça do Trabalho, Armando de Oliveira Lima é casado com Wilma Maria e, juntos, formam um casal que vive com princípios humanos de solidariedade em todos esses incríveis exemplos de participação na sociedade. A alma do Armando é uma luz de paz que irradia sua vida.

Ah, e como prometido no último artigo, neste sábado, dia 23, às 15h, estarei no Asilo dos Idosos – Centro Vicentino NS das Dores, de Araçoiaba da Serra, dando o meu abraço ao Simão pelos seus 107 anos de vida.

 

 

 

 

 

 

Vanderlei Testa é jornalista e publicitário
vanderleitesta.ipa@gmail.com

1 Comentário

  1. Justa homenagem a esse ícone sorocabano Armando de Oliveira Lima .

Comments are closed.