O DEDA QUESTÃO

Um grupo de moradores dos condomínios populares de Votorantim se concentrou em frente à Prefeitura da cidade na manhã de hoje, alguns deles usando nariz de palhaço, durante protesto contra o que estão pagando de IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) da cidade. Eles foram recebidos no gabinete do prefeito Fernando de Oliveira e ao final “ficou acordado que nós vamos fazer a revisão da Planta Genérica do município”, disse o prefeito.

Os condomínios populares estão localizados entre dois condomínios de alto padrão (Alphaville e Santa Maria) e receberam, no passado, o mesmo reajuste no valor venal que implica no IPTU pago anualmente. O protesto de hoje se refere ao não cumprimento de um acordo feito em fevereiro de 2017 e quem esclarece isso é a jornalista Luciana Lopez, do jornal Gazeta de Votorantim, em mensagem enviada à coluna O Deda Questão do Jornal Ipanema (FM 91,1Mhz) que tratou do assunto na semana passada.

Sobre o IPTU – parte 1

A Prefeitura divulgou que não haveria aumento no IPTU no carnê atual.

Sobre o IPTU – parte 2

Moradores de residenciais populares (apartamentos de até 50m², em média) que moram em áreas nobres e também em áreas periféricas, reclamam do alto valor do IPTU. Essa reclamação é recorrente há anos. Já teve manifestações, passeatas, requerimentos, audiências públicas e, em fevereiro do ano passado, uma reunião entre síndicos, vereadores e prefeito, o prefeito garantiu que iria rever o valor do IPTU para esses imóveis. Na ocasião, gravou entrevista e mandou relise dizendo que faria a diminuição desses valores nesses residenciais, já para o carnê atual. A promessa não foi cumprida e esses síndicos irão fazer uma manifestação na segunda-feira (05/03) para pedir o cumprimento da promessa feita.

Sobre o IPTU – parte 3

Estranhamente, a Prefeitura anunciou no final do ano que “revisou os valores do IPTU de quatro localidades na cidade, Real Parque, Sinfonia, Ilha de Málaga e Sicília”, cujos contribuintes passariam a pagar menos, mas o comunicado não esclareceu de que forma foi a revisão, pois não houve votação de renúncia fiscal na Câmara e nem revisão da Planta genérica. Talvez pode ter sido pelo Fator Condomínio, mas não tenho como afirmar.

Ventilou-se que houve desconto na taxa de lixo, mas isso não ficou claro e até os moradores desses lugares não conseguiram compreender. Eles também irão protestar no dia 05.

Sobre o IPTU – parte 4

A revisão através de levantamento aerofotogramétrico (das moradias que ampliaram a área coberta) ocorreu em 2015, já com os reajustes em 2016, no governo anterior.