Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

O Brasil está dividido e deve se unir após as eleições, defende Temer

Postado em: 13/10/2018

Compartilhe esta notícia:

O presidente da República, Michel Temer, disse nesta sexta-feira (12) que o Brasil está dividido por causa das eleições. Ele acredita, no entanto, que essa divisão entre os brasileiros será superada assim que terminar o período eleitoral.

As informações são da Agência Brasil.

“Temos de ter a compreensão de que a eleição é um momento político-eleitoral. Logo depois vem o momento político-administrativo. No momento político-eleitoral, é natural que haja divergência. O que não pode haver é violência. Tenho absoluta convicção de que, passado esse momento, após a eleição o Brasil estará reunificado”, afirmou o presidente.

Temer participou nesta sexta-feira de uma missa em homenagem a Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, no centro de visitantes das Paineiras, aos pés do monumento do Cristo Redentor, que completa hoje 87 anos.

Em entrevista à imprensa, o presidente disse ainda que se preocupa com episódios de violência ocorridos durante a eleição.

“É claro que toda vez que se fala em violência temos de nos preocupar. Por isso, precisamos combatê-la como estamos fazendo todos”, acrescentou Michel Temer. Ele disse ainda que está se divertindo com as brincadeiras feitas na internet, cujo mote é a frase “Fica Temer”, em alusão às incertezas sobre o resultado da eleição.

Na missa, o presidente adotou o mesmo tom de que os brasileiros devem se unir. “Quando se conta que Nossa Senhora Aparecida foi encontrada para depois encontrar-se a sua outra parte, para restaurar a imagem da santa padroeira do Brasil, eu percebo que isso serve como uma simbologia extraordinária para verificar que nada no Brasil se fraturará. Ao contrário, se houver uma tentativa de fratura, nós todos, com a Santa Igreja, vamos colar essa fraturas de modo que permanentemente tenhamos uma imagem do Brasil inteiramente costurada”, disse.

Durante a missa, celebrada por dom Orani Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro, também foi anunciado que os visitantes ao monumento do Cristo Redentor poderão fazer uma doação voluntária para manter a estátua.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

“Fui infeliz”, diz Crivella sobre culpar a população pelas enchentes no Rio

Brasileiros em quarentena seguem sem sintomas do novo coronavírus

Morre delegado que se encontrou em Sorocaba com carrasco nazista

Cápsula do tempo que será reaberta em 2038 é lançada em Sorocaba

Saae passa a oferecer serviço on-line para revisão de consumo

Cumbica enfrenta terceiro dia consecutivo de atrasos em São Paulo