Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Em luto por morte de elefante Haisa, Zoo Quinzinho de Barros não abre nesta 5ª

Foto: divulgação
Postado em: 19/11/2020

Compartilhe esta notícia:

Em razão da morte da elefante asiática Haisa, ocorrida na noite desta quarta-feira (18), o Parque Zoológico Municipal "Quinzinho de Barros" não será aberto ao público nesta quinta-feira (19).

 

Todos os funcionários estão em luto. O parque será reaberto para visitação no feriado do Dia da Consciência Negra, celebrado nesta sexta-feira (20).

 

A Prefeitura de Sorocaba comunicou na noite desta quarta-feira (18) que a elefante Haisa morreu. Um guarda civil municipal (GCM), que fazia o patrulhamento no local, estava próximo ao recinto e presenciou o momento em que Haisa morreu. Ele imediatamente acionou a equipe técnica do zoo que, ao chegar, constatou a morte do animal. Todos os funcionários estão em luto. De acordo com a Sema, será feita a necropsia e os exames associados para identificar a causa da morte.

 

Leia a íntegra da nota de pesar da Prefeitura:

 

"É com muito pesar que a Secretaria do Meio Ambiente e Sustentabilidade (Sema) informa que a querida Haisa, elefante asiática do Parque Zoológico Municipal "Quinzinho de Barros", morreu na noite desta quarta-feira (dia 18), por volta de 19h.

 

Um guarda civil municipal (GCM), que fazia o patrulhamento no local, estava próximo ao recinto e presenciou o momento em que Haisa morreu. Ele  imediatamente acionou a equipe técnica do zoo que, ao chegar, constatou a morte do animal. Todos os funcionários estão em luto.

 

De acordo com a Sema, será feita a necropsia e os exames associados para identificar a causa da morte.

 

Haisa chegou ao "Quinzinho de Barros" em 1995, já adulta, vinda de um circo. Estima-se que ela tinha mais de 60 anos, sendo considerado um animal bem idoso e, por isso, recebia uma rotina de cuidados especiais.  

 

Desde o mês de maio deste ano, Haisa vinha apresentando dificuldade locomotora. Após avaliação clinica e exames foi constatado um quadro de artrose, uma doença degenerativa que não tem cura.

 

Haisa vinha sendo medicada com anti-inflamatórios, analgésicos e condroprotetores (complementos que estimulam a nutrição, hidratação e regeneração das cartilagens), e estava apresentando melhora satisfatória.

 

Todos os demais cuidados em prol da qualidade de vida da Haisa, além do controle da artrose, vinham sendo tomados por toda a equipe do zoológico de Sorocaba. Ela recebia uma atenção especial dos tratadores que passavam praticamente o dia todo junto com os elefantes, fornecendo uma dieta equilibrada, cuidados médicos veterinários e atividades de enriquecimento ambiental."

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Novo PGR troca afagos com Bolsonaro, e presidente fala em amor à primeira vista

Criação de cargos desejada pelo Executivo custaria milhões aos cofres públicos

Bolsonaro quer testar spray nasal contra Covid-19 no Brasil

2ª edição do ‘Volta à Caserna’ é realizada no Paço Municipal

Carlos Péper (Solidariedade) declara apoio a Manga para o segundo turno das eleições em Sorocaba

Prefeito de SP, Bruno Covas, recebe diagnóstico de Covid-19