Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Após lançar mísseis, China diz que está sendo provocada pelos EUA

Jovem Pan News
Postado em: 27/08/2020

Compartilhe esta notícia:

Jovem Pan News

O Ministério da Defesa da China afirmou nesta quinta-feira, 27, que as relações com os Estados Unidos passam por um momento difícil e que Pequim se viu obrigado a adotar algumas medidas para rebater o que considera serem provocações por parte de Washington. Entretanto, o porta-voz do Ministério, Wu Qian, não deixou claro em sua entrevista coletiva mensal se o país asiático lançou dois mísseis porta-aviões ontem no Mar do Sul da China como um aviso aos EUA, como publicado hoje pela mídia local, como o “South China Morning Post”, que citou fontes anônimas.

Segundo o jornal, a China enviou um míssil DF-26B da província de Qinghai e um DF-21D de Zhejiang para uma área localizada entre a província insular de Hainan e as disputadas Ilhas Paracel (Xisha, em Mandarim), no mesmo dia em que Washington enviou um avião de reconhecimento U-2 para uma região de exclusão aérea que o Exército chinês utiliza para manobras. 

“Durante algum tempo, os Estados Unidos continuaram suas provocações, criaram problemas e minaram seriamente a soberania chinesa. Isso prejudicou as relações entre os dois países e suas forças armadas. A China não vai dançar ao som da música dos EUA ou deixar que os EUA a provoquem. Tomamos medidas fortes para salvaguardar nossa soberania e nossos interesses de desenvolvimento”, declarou Wu.

O porta-voz acrescentou que espera que Washington veja o desenvolvimento da China com uma mente aberta e racional e “saiam do atoleiro de ansiedades em que se meteu”. “É importante que os dois exércitos mantenham a comunicação para evitar riscos”, frisou o representante do Ministério da Defesa chinês, fez questão de dizer que a China não tem medo de qualquer tipo de provocação dos americanos. 

“Alguns políticos americanos estão fazendo tudo que podem para minar as relações entre os dois exércitos e até mesmo criar acidentes e conflitos militares, colocando em risco a vida dos soldados na linha de frente”, disse. Além disso, o porta-voz afirmou que a China se opõe fortemente à instalação de mísseis de curto e médio alcance dos EUA em países asiáticos e avisou: “Se isso acontecer, provocará uma resposta”.

VIETNÃ CONDENA AÇÕES DA CHINA

O Vietnã condenou ontem as manobras militares da China no arquipélago das Ilhas Paracel pela segunda vez em duas semanas – sobre as quais o gigante asiático tem disputas de soberania com o Vietnã e Taiwan – e acusou Pequim de colocar em perigo a paz na região. 

“Os exercícios militares nestas ilhas não são dirigidos contra nenhum país”, ponderou Wu hoje. De acordo com a fonte citada pelo jornal “South China Morning Post”, Pequim lançou tais mísseis para responder aos riscos potenciais colocados pelos cada vez mais frequentes aviões de combate e navios americanos no Mar do Sul da China.

*Com informações da Agência EFE

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Operação Dignidade faz ação para orientar pessoas em situação de rua e ajuda grávida de 6 meses

Presidente Jair Bolsonaro assina desfiliação do PSL

Palestra no PTS explica como obter recursos não reembolsáveis

Saae instala primeiras válvulas reguladoras para tentar reduzir perda de água

Polícia identifica autores e vítimas de massacre em escola de Suzano

Operação ‘Mais Sorocaba’ interdita pousada usada à prática de prostituição