Jovens tentam salvar garça com o bico preso por lacre de plástico

Por Cristiane Carvalho, com fotos de Gabriel Bitencourt

A simples caminhada rotineira, no Parque Carlos Alberto Souza, Campolim, Zona Sul de Sorocaba, tem transformado a vida da pedagoga Carolina Barreto, de 24 anos. Desde sábado (8), ela tenta ajudar a garça que tem um ‘lacre’ prendendo o bico.

Garça sofre com lacre no  bico - Crédito: Gabriel bitencourt

A persistência tomou conta de Carolina. Durante esses seis dias, ela não desistiu de oferecer ajuda à ave. São dez horas diárias tentando ‘caçar’ a garça, na intenção de ajudá-la. A pedagoga tem publicado fotos de suas tentativas nas redes sociais e ganhou a ajuda de outras duas jovens.

Uma equipe da Mata Ciliar de Jundiaí, deve vir a Sorocaba nesta manhã de sexta-feira (14) com o material adequado para tentar o resgate da garça.

Na tarde de segunda-feira (10), um grupo da Polícia Ambiental – juntamente com o Corpo de Bombeiros – foi até o local, mas não conseguiu ajudar a ave.

Na manhã desta quinta-feira (13), a jovem foi novamente ao parque. O trabalho foi acompanhado de perto por diversos curiosos e pelo ambientalista e colunista do Ipa Online, Gabriel Bitencourt, que registrou uma sequência de fotos do desespero da garça.

As jovens até que chegaram perto da ave, mas quando jogavam a tarrafa – rede utilizada em pesca -, ‘asas para que te quero’. Assustada, a garça levanta voo e a cena vai se repetindo…

Alimentação

A principal preocupação da pedagoga é com a alimentação da ave. Por diversas vezes, a garça tem capturado alguns peixinhos, mas, no momento de comê-los, o ‘lacre’, proveniente de alguma garrafa pet, impossibilita a abertura do bico.

A saga continua…

Em entrevista ao Ipa Online, Carolina disse que “enquanto não salvar a garça,  não pretende deixar tão cedo o parque”.

1 Comentário

Comments are closed.