Foto: Divulgação/Secom

A cidade de Sorocaba recebeu a proposta para instalar pontes e viadutos em aço com custo reduzido em cerca de 30%, quando comparado ao processo construtivo em concreto. As soluções foram apresentadas na sede da Urbes-Trânsito e Transportes na manhã da sexta-feira (19), por representantes de estatal China Harzone Indstry Corp. Ltda.

Os projetos foram expostos pelos executivos chineses ao Secretário de Mobilidade e Acessibilidade (Semob) e presidente da Urbes, Luiz Alberto Fioravante, reunido com o secretário da Segurança e Defesa Civil, coronel Antonio Valdir Gonçalves Filho, diretores da Semob, Urbes e um engenheiro convidado, de empresa privada da área de construção civil.

Na opinião do secretário Fioravante, a primeira reunião foi muito positiva, pois as soluções apresentadas demonstram custos reduzidos em relação ao método atualmente empregado nas construções de pontes e viadutos em concreto. “A ponte para ligar o Residencial Carandá ao Parque São Bento é um dos projetos da Prefeitura, entre muitas outras que poderíamos implantar na cidade. Elas chegam prontas e as menores podem ser instaladas em um dia. Gostamos, mas dependemos das certificações de órgãos nacionais e do trâmite em busca de recursos financeiros ou medidas compensatórias (mitigatórias)”.

O secretário da Segurança e Defesa Civil, coronel Antonio Valdir Gonçalves Filho, conheceu equipamentos para uso em ações da Defesa Civil, como viaturas com pontes móveis embarcadas que em poucos minutos são estendidas para o tráfego de veículos e pedestres. Elas podem ser usadas em ações de salvamento em áreas alagadas, deslizamentos e atingidas por desastres naturais. “São soluções rápidas para os casos de emergência em situações de comunidades isoladas e sem acesso aos serviços essenciais”.

Outros produtos apresentados foram veículos que lançam esteiras para garantir o acesso de viaturas em área com solo tomado por lama ou areia, por exemplo.

As explanações sobre os equipamentos chineses foram feitas pelo gerente geral do departamento de marketing da China Harzone, Li Kaiqiong e pelo representante chefe da China Harzone para o Brasil, Equador e Honduras, Jackie Rao, auxiliados pelo tradutor público e intérprete comercial da Junta Comercial do Estado de São Paulo (Jucesp), Guey Chien. Os executivos explicaram que a estatal chinesa produz soluções militares e civis, incluindo submarinos e aviões. Fornece viadutos para 80% da China e na América do Sul, para sete países, como Peru e Bolívia.

Participaram da reunião o secretário adjunto de Mobilidade e Acessibilidade, José Carlos de Almeida, os diretores da Urbes, Samio Cassio Santana Silva (Planejamento), Carlos Eduardo Paschoini (Trânsito) e um engenheiro civil da construtora MRV, Flávio Alves Del Bianco.

3 Comentários

  1. O CREA não vai deixar. Além do CREA, os nossos METACAPITALISTAS ( a turma do capitalismo de compadrio) que vivem da reserva de mercado para nos venderem M–D- a preço de ouro também não vão deixar. Infelizmente isso é Brasil.

  2. E outras grandes empresas nacionais. A míngua, por outro lado dessa redução, o prefeito lota a prefeitura de comissionados e falsos voluntários sem benefícios para a cidade, inclusive uma quadrilha instalada na prefeitura drenando os cofres públicos ( casa de papel , esse papo de redução de custos não cola, infelizmente.. falta credibilidade e moral nessa gestão, lamentável realidade!!! Falar o que de um prefeito que usa artifício de atestado médico para não depor na CP do falso voluntáriado e encontrado passeando no Uruguai, que depois de pego os vereadores tem que ir na casa da Boneca para colher o depoimento?? Faça me um favor esse Bosta de Prefeito, deveria sumir da cidade e nunca mais aparecer!!! Idiota!!!
    Sem comentários!!!

Comments are closed.