Por Djalma Luiz Benette

O vereador Rodrigo Manga, presidente da Câmara de Sorocaba, é o autor do projeto de lei que cria atendimento de primeiro socorro nos terminais urbanos Santo Antônio e São Paulo. Na Legislatura passada, Manga tentou emplacar a iniciativa, chegou a ter o apoio do secretário da saúde, mas foi barrado pelo prefeito Pannunzio.

Nessa legislatura, não foi atendido pelo prefeito Crespo, tinha a promessa de que seria atendido pela prefeita Jaqueline Coutinho, no período em que Crespo esteve cassado, teve a promessa de Crespo de ser atendido até dezembro e nada aconteceu.

Aí, levando em conta essa realidade dos terminais seguirem sem atendimento de primeiro socorro nos terminais de ônibus, o vereador Nenê Silvano cobrou Manga de não estar trabalhando junto ao prefeito sobre esse benefício e que está mais preocupado em aparecer em rede sociais do que trabalhar junto ao povo. Manga subiu o tom, ficou com vontade de falar no popular o que pensava de Nenê Silvano, mas manteve a linha dizendo que o “nobre vereador foi infeliz em sua colocação” e desafiou ele e qualquer um a acompanha-lo. Manga disse que podem falar o que quiser dele, falar que é careca e gordo, mas nunca afirmar que não trabalha que é o que mais faz.

A discussão enveredou sobre quem trabalha e não trabalha, quem só quer aparecer em rede social, quem se preocupa com o pobre e o motivo (ou seja, a não implementação do atendimento de primeiro socorro nos terminais de ônibus) ficou em terceiro plano.

Ao leitor do blog, entendo que essa explicação explica melhor o acalorado bate-boca entre os vereadores Manga e Nenê Silvano em que pese a presença de espírito do vereador Hudson Pessini, que na tentativa de acalmar e descontrair o ambiente, tenha dito que os ânimos de Manga e Nenê estavam exaltados devido ao café servido pela dona Lúcia, a garçonete dos vereadores em plenário.

O que Manga quer

Pelo projeto de Manga, “o Poder Executivo é obrigado a estabelecer posto de pronto atendimento de primeiros socorros dentro dos terminais de integração do sistema viário de transporte coletivo do município de Sorocaba para atendimento à população que se encontrar em trânsito nas localidades”.

O projeto afirma também que os profissionais de saúde que desempenharem suas funções nos terminais urbanos poderão desenvolver programas de prevenção e orientação relacionados à saúde pública, divulgando campanhas relacionadas à área e desenvolvidas pela Secretaria Municipal da Saúde.

O projeto ainda destaca que os profissionais prestadores deverão estar habilitados e inscritos nos órgãos profissionais competentes e admitidos no serviço público municipal

Conforme o autor, Crespo está de acordo com o projeto: “Falei com o prefeito Crespo, que votou a favor do projeto quando vereador e contra o veto de Pannunzio, e ele pediu para protocolar a propositura”, afirma.

Deixe um Comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here