Atualizado em 20 de julho de 2018 às 08h51

A captação de leite materno de Sorocaba está comprometida. Mães que fazem doação ao Banco de Leite de Sorocaba fizeram uma denúncia ao Ipa Online que o motorista que era contratado pela Prefeitura foi afastado e, há dois meses, as coletas nas residências não estão sendo feitas.

A doadora Márcia Bertolutti conta que tem um bebê de oito meses doava cerca de um litro de leite semanalmente. “Depois que a coleta deixou de ser feita, esse leite acaba sendo descartado”.

Quem sofre com a situação são os recém-nascidos que precisam do leite materno, porém, sem as doações, o estoque fica prejudicado.

Uma funcionária do Banco de Leite, que prefere não ser identificada, conta que o inverno é uma época que a doação de leite é prejudicada, justamente porque é difícil encontrar doadoras.

Mas, agora a situação é diferente, há cerca de oito a nove doadoras que se comprometeram a fazer a doação, porém não há quem faça a coleta.

Atualmente, aproximadamente 50 bebês necessitam do leite materno, mas nem todos conseguem ser assistidos por conta do baixo estoque.

Ainda de acordo com a funcionária, o Banco de Leite tinha uma parceria com o Rotary, que cedeu um veículo e a Prefeitura que emprestava o motorista.

Questionada, a prefeitura informou que “o Banco de Leite Humano, situado no CHS (Conjunto Hospitalar de Sorocaba) é de gestão estadual, inclusive a responsabilidade das coletas. O governo municipal anterior cedeu um servidor motorista para exercer essa atribuição, mas a atual gestão constatou que não existe convênio firmado entre Estado e Município, por este motivo, o servidor foi retirado. Além disso, o carro utilizado não era oficial da prefeitura, situação que também impossibilitou a continuidade por parte da cidade”.

Nota da Secretaria do Estado

“O Conjunto Hospitalar de Sorocaba- CHS esclarece que, após o término do serviço prestado pelo município de Sorocaba, a unidade disponibilizou funcionário próprio para a coleta de leite materno.

O serviço é feito duas vezes por semana e o CHS estuda possibilidades para ampliar a frequência.

Cabe esclarecer que não há desabastecimento do Banco de Leite Humano da unidade”