“You” oscila entre bons momentos de thriller e construção confusa de protagonista

Divulgação

Erick Rodrigues

Logo que foi lançada, no fim do ano passado, a série “You” ganhou popularidade e acabou despertando curiosidade justamente por destacar um assunto muito discutido hoje: os sinais que podem caracterizar relacionamentos abusivos, especialmente em casos que há comportamentos dissimulados e uma velada tentativa de controle da vida do parceira. Menos de uma mês após a estreia, a produção deve atingir a marca de 40 milhões de espectadores, estimada pela Netflix, além de já ter uma segunda temporada garantida.

Baseada no livro de Caroline Kepnes, “You” é uma produção que acerta no desenvolvimento de um thriller que aguce o espectador, mas, ao mesmo tempo, perde força com a construção confusa da personalidade de Joe (Penn Badgley) e, até mesmo, com a atenção dada pelo roteiro a algumas tramas secundárias, que apenas servem para forçar conflitos e resolver rapidamente questões centrais.

A história começa quando Joe, que trabalha em uma livraria de Nova York, conhece Beck (Elizabeth Lail), uma aspirante a escritora que expõe a vida nas redes sociais, ou, pelo menos, os momentos felizes que podem gerar curtidas dos seguidores. É dessa forma que o rapaz consegue analisar a rotina da jovem e segui-la de perto, descobrindo onde ela mora, quem são os principais amigos e qual a melhor forma de abordá-la.

Dizendo-se apaixonado por Beck, Joe vai revelando, aos poucos, um meticuloso plano para conseguir conquistar a escritora, que envolve, entre outras coisas, o controle das mensagens recebidas por ela e a eliminação do que ele considera obstáculos para atingir esse objetivo. Um deles é Benji (Lou Taylor Pucci), empresário que vive um relacionamento com a jovem e é vítima da obsessão do protagonista por ela.

Depois que consegue se aproximar de Beck e, aos poucos, conquistar o coração dela, Joe acaba tendo que enfrentar outro desafio: combater a resistência de Peach Sallinger (Shay Mitchell), a melhor amiga da escritora e que também revela certo comportamento obsessivo, inclusive com tentativas de controlar a vida da jovem.

O envolvimento de Joe e Beck, além das escolhas e comportamentos do protagonista para tentar manter o controle daquela relação, acaba revelando detalhes sobre o passado dele, que dá sinais de já ter aplicado sua obsessão em um relacionamento anterior e de ter vivido sob a criação de um homem severo e violento. Apesar dessa personalidade, Joe também se mostra solidário ao drama do vizinho Paco (Luca Padovan), que sofre com a violência causada pelo padrasto contra a mãe dele.

Divulgação

“You” constrói bem o suspense sobre o comportamento de Joe e a teia que ele costura para envolver completamente Beck, se aproveitando, inclusive, das fragilidades dela. Especialmente nos primeiros e nos últimos episódios, a série consegue criar um clima de tensão sobre as escolhas do protagonista e as tentativas em esconder essa personalidade dos demais personagens. A história também acerta ao mostrar como uma exposição excessiva nas redes sociais pode servir de ferramenta para pessoas mal intencionadas ou obsessivas.

Esse resultado só é atingido, no entanto, com a ajuda do bom desempenho do elenco, especialmente Penn Badgley e Elizabeth Lail, que encontram o tom certo para expor as nuances dos personagens. Enquanto Badgley alterna bem as demonstrações de obsessão e fragilidade do protagonista, a atriz constrói uma complexidade interessante para Beck, que se revela mimada, frustrada e, quando necessário, decidida e forte.

O roteiro de “You”, no entanto, perde força quando foca na personalidade de Joe. Apesar do bom desempenho do ator, o personagem revela contradições injustificáveis, quase sempre relacionadas às atitudes dele. A história começa construindo o protagonista como uma menta obsessivamente meticulosa, que até expõe traços de psicopatia, mas, logo, a história revela atitudes precipitadas e  improvisadas, pouco coerentes com as características que o personagem mostra no início.

Outro aspecto que torna a trama mais frágil é o caminho tomado na trama secundária que envolve Peach. O fato de trazer uma outra stalker para a história, além de Joe, revela o lado inverossímil do roteiro e enfraquece o conflito entre o protagonista e a amiga de Beck, que poderia ser mais velado e interessante em bases mais realistas. Também há personagens mal inseridos no enredo, como Karen (Natalie Paul), que engata um relacionamento com Joe e serve apenas como “sinal de alerta” para Beck, ou, até mesmo, o detetive particular que segue os passos do protagonista.

“You” encontrou um público entusiasmado na Netflix e até rende uma maratona regular de fim de semana, embalada pela boa construção de suspense. Não fará mal se, na segunda temporada, o roteiro se dedicar a uma construção menos confusa da personalidade de Joe e em focar mais na trama central, ainda que o gancho deixado para os novos episódios seja, do meu ponto de vista, pouco interessante.

YOU (primeira temporada)

ONDE: Netflix (todos os episódios disponíveis)

COTAÇÃO: regular